A pandemia e o isolamento social obrigaram as empresas a repensarem seus modelos de negócios, suas práticas e seus processos. A forma de pensar contratação também já passava por mudanças e foi acelerada. A competição pelos melhores talentos continua acirrada e, em tempos incertos, trazer a pessoa certa é mais importante do que nunca.

Estudo publicado recentemente pelo Gartner Research, empresa multinacional de consultoria e pesquisa, examina as mudanças do mercado de trabalho e traça um novo roteiro em que a área de RH deve navegar. Os pesquisadores identificaram três tendências que estão tornando obsoletas as táticas de recrutamento tradicionais:

  1. A vida útil das habilidades necessárias nas funções tem se tornado cada vez mais curta

Em um cenário pré-pandemia, uma pesquisa realizada com 3.500 gerentes descobriu que apenas 29% dos novos contratados tem todas as habilidades necessárias para exercer sua função atual. Menos ainda quando pensamos nas funções futuras. As incertezas sobre quais as habilidades serão necessárias nos empregos atuais e futuros estão crescendo à medida que o aumento do trabalho remoto estimula o redesenho ou automação de muitas tarefas.

  1. Os critérios e locais de busca por candidatos que os recrutadores utilizam rotineiramente estão se tornando antiquados.

Encontrar candidatos altamente talentosos agora não é mais sinônimo de procurar um currículo atrativo, com diplomas das principais universidades. Mais e mais profissionais estão adquirindo habilidades críticas de forma informal e dentro de suas próprias casas. “A calmaria e as demissões geraram um boom no aprendizado virtual, dando aos trabalhadores uma nova autonomia para desenvolver habilidades fora de seu trabalho diário”, escrevem os pesquisadores.

  1. Os candidatos estão se tornando cada vez mais seletivos sobre para quem trabalham

Cada vez mais, se torna importante ter uma marca empregadora atrativa, porque os candidatos não avaliam apenas o cargo e o pacote de benefícios para trabalhar em uma empresa. Esse fator se mantém importante em avaliar uma oportunidade, mas fatores como propósito e proximidade com a família, assumiram uma importância adicional na pandemia. A impossibilidade do trabalho 100% remoto vem se tornando um fator limitante no preenchimento de posições.

Para ajustar a contratação de profissionais e construir um time que as empresas de fato precisam, a área de RH deve se concentrar em duas ações:

  1. Contrate pelo potencial, não pela experiência

O primeiro passo que deve ser ajustado é parar de pensar que contratar é substituir um profissional X por um Y com algumas habilidades adicionais. Essa estratégia leva a encontrar candidatos aptos a resolver os problemas de ontem, mas que, provavelmente, não estarão preparados para o de amanhã.

Os líderes de Recursos Humanos devem estimular os gerentes a olhar além das necessidades imediatas das suas áreas e considerar quais as habilidades a organização deve adquirir para ter sucesso no futuro. “Os empregadores estão perguntando: 'Como posso testar a curiosidade? A agilidade no aprendizado?’”, Diz Lauren Smith, Vice-presidente de prática de RH da Gartner. “Eles estão examinando currículos em busca de indicadores de sucesso em uma variedade de funções e por experiência transportável, em vez de experiência específica do setor. Não é mais uma questão de ‘Esta pessoa está credenciada.’“

Quando os gerentes de contratação colocam menos ênfase em diplomas acadêmicos, certificações e experiência formal prévia, eles irão naturalmente olhar além dos pools de talentos tradicionais.

  1. Vá além do pingue-pongue e dos lanches gratuitos

É fundamental que as empresas entendam suas propostas de valor e como os candidatos as veem, buscando impulsionar essa percepção durante todo o processo. Os candidatos estão examinando as respostas das organizações à pandemia e procurando entender como as empresas se adaptaram e apoiaram – ou deixaram de apoiar – os seus funcionários. A busca por um equilíbrio confortável entre vida pessoal e profissional já vinha ganhando espaço significativo na escolha dos profissionais por uma empresa e foi acelerado pela pandemia.

Em uma pesquisa com 2.800 candidatos em processo de seleção, 65% dos que interromperam o processo, o motivo de declínio foi acharam algum aspecto do trabalho e/ou da empresa pouco atraentes. As empresas devem entender as expectativas dos candidatos e criar posições de acordo, da mesma maneira que uma empresa de bens de consumo adapta seus produtos aos desejos dos clientes.

  • A pandemia está desafiando as empresas a repensarem as formas tradicionais de fazer negócios, proporcionando uma oportunidade de reformar práticas de recrutamento desatualizadas. O mundo já estava se transformando, mas agora a intensidade das mudanças está exigindo um tempo de reação ainda menor das empresas.

    Como você, profissional de RH, tem reformulado os seus processos?

Fonte: Harvard Business Review
Pesquisa: "Advancing Recruiting’s Value Through Uncertain Times: Shaping the Workforce", por Gartner Research
Compartilhe
Deixe seu comentário