Não vamos falar sobre os dilemas do home office ou presencial, do modelo híbrido ser o ideal e qual a sua proporção. Vamos falar do espaço físico que ficou e o que fizemos com ele. E, mais do que isso, vamos falar do que aprendemos.

Assim como a maior parte das empresas, aqui na Tailor dedicamos um bom tempo repensando nossos espaços físicos nesse início de retomada gradativa ao presencial. Nossa sede em BH ainda era relativamente nova, já que nos mudamos pouco antes do início da pandemia e desde então desfrutamos pouco do ambiente. Mas isso tudo que passamos de lá pra cá nos fez parar e refletir sobre para que ele serve.

Até então, o propósito maior do escritório era ter espaço suficiente para que todos os colaboradores tivessem suas mesas e salas de reuniões suficientes para as agendas do dia a dia. No entanto, vimos que isso não seria mais suficiente e, em fevereiro de 2022, decidimos dobrar o tamanho do escritório e realizar algumas reformas.

Mesmo que todos já tivessem onde trabalhar e dobrar de tamanho pudesse parecer um exagero naquele momento, a ideia era que o ambiente proporcionasse experiências maiores que ter uma boa estação de trabalho para cada um. O resultado?

  • Nossa pequena cozinha – que atendia bem ao propósito de se alimentar e voltar rapidamente ao trabalho – tornou-se um ambiente amplo e agradável, no qual a equipe agora se reúne em conversas e conexões que fortalecem a cultura e integração do time.
  • Nossa nova sala de reunião ganhou um bar dentro, onde não falamos somente de negócios, mas recebemos – em happy hours leves e descontraídos – os executivos, amigos e pessoas que têm trazido muitos ensinamentos e inspirações ao time.
  • Além disso, esta nova sala de reunião ganhou espaço de sobra para comportar confortavelmente todo o time. E com esse conforto e vontade de utilizá-la, naturalmente ela se tornou mais que um espaço para reuniões específicas, mas um ambiente de treinamentos e ações de desenvolvimento constantes.
  • Ah, e nosso bar (apelidado de Bar do Alfinete), além de receber os convidados externos, tem recebido a equipe em confraternizações não programadas e celebrações bem mais constantes.
  • Nosso departamento de Marketing e Experiências, que antes ocupava espaços rotativos e sem divisórias, ganhou uma ampla sala, com a cara da equipe que a ocupa, o que trouxe novas sensações que não percebíamos que faltavam: de relevância, reconhecimento e pertencimento.
  • A sala de operações, que já não comportava mais toda a equipe em um mesmo espaço, foi ampliada e trouxemos todos da linha de frente para dentro, em um ambiente único e aberto, de troca em tempo real, alinhamento de discurso e velocidade na resolução de problemas.

Muita coisa mudou! Confessamos que nem esperávamos um impacto tão positivo com estas mudanças. O clima está ainda melhor, mais leve. Os sorrisos nos rostos e a satisfação em chegar e permanecer na empresa estão por todos os lados.

O novo espaço físico aumentou o orgulho de pertencer. E sabe aquela vontade que temos de apresentar nossa casa nova para as pessoas, quando mudamos e estamos apaixonados pelo lar? Pois é, essa vontade se transformou em aumento de produtividade, de reuniões, de clientes, candidatos e parceiros entrando e saindo a todo o momento. Moral da história? Os resultados foram recordes históricos para a empresa!

Nesse movimento de repensar os espaços físicos e o que mais ele pode oferecer além do básico, ganharam colaboradores, ganharam os clientes e ganhou a empresa.

Você não tem noção de como estou feliz com meu novo espaço, estou tão empolgada e feliz, que consigo me concentrar mais, focar nas criações, conversar com meu par sobre tudo e percebo que os resultados estão sendo sentidos.

Ana Carolina Machado, Head de Sucesso do Cliente

Se sua empresa ainda não o fez, já está na hora de repensar os espaços físicos! E se quiser saber mais sobre essa nossa experiência, a Tailor está de portas abertas!

Compartilhe
Deixe seu comentário