Metodologia de ensinamento e aprendizado de mão dupla

O conceito de mentoria reversa no trabalho é creditada a Jack Welch, que implementou um programa com esse tema na General Electric em 1999, cuja prática consistia na ajuda de jovens profissionais aos mais maduros na utilização de ferramentas tecnológicas.

De lá para cá, muitas empresas implementaram suas versões dessa iniciativa, que hoje vai muito além do ensino sobre como usar a tecnologia. O programa mais amplo aborda entender o jeito de pensar e agir sobre assuntos estratégicos, ou seja, sobre a cultura de processamento e realização de cada geração.

Assim, a mentoria acaba sendo bidirecional e estimula o relacionamento e o aprendizado compartilhado entre gerações diferentes, fazendo com que a organização tenha uma cultura de compartilhamento do conhecimento e respeito mútuo.

Afinal, todos temos algo a ensinar e a aprender, independentemente de posição profissional, geração e experiência. Esse tipo de programa além de gerar evolução para ambas as partes — o mentor e o mentorado —, traz uma série de benefícios para as organizações que a desenvolvem. Não é à toa que instituições como Coca-Cola, Microsoft e IBM desenvolvem tal metodologia.

Entre os benefícios potenciais desse programa, podemos destacar:

1. Compartilhamento de experiências, conhecimentos e insights sobre os valores, metodologias de gestão, visão de mundo, comunicação, estratégias, gerando:

  • Oportunidade de desenvolvimento mútuo e obtenção de novas perspectivas sobre as coisas (Criatividade e Inovação);
  • Aumento do nível de atualização profissional dos gestores mais experientes e contribuição para o amadurecimento dos profissionais mais jovens;
  • Melhoria na autoconfiança das duas partes envolvidas e a facilidade de ser empático com outros pontos de vista.

2. Fomento para uma cultura forte e consistente:

  • A troca entre gerações pode trazer grandes ensinamentos sobre onde estão as principais falhas de posicionamento, tanto para o público interno quanto externo;
  • Mudança de mindset sobre as competências intergeracionais, reduzindo distâncias entre as gerações;
  • Fomenta uma cultura de compartilhamento, aprendizado constante e valorização da diversidade.

3. Atração e retenção de talentos:

Pauta de muitas discussões entre executivos, a atração e retenção de talentos, principalmente da nova geração, é um problema enfrentado no mundo empresarial. A abertura ao diálogo e compartilhamento de ideias e visões entre esses jovens e dirigentes e C-levels:

  • Atende o desejo da nova de geração de ser ouvida;
  • Melhorando a comunicação e transparência, oferece um canal de feedbacks para entender o que pode ser feito para que o interesse em trabalhar naquela empresa seja maior.

Para que esses e outros benefícios sejam percebidos na organização, é fundamental que a mentoria bilateral seja um programa estruturado, com objetivos definidos, supervisão e acompanhamento e escolha dos pares (por exemplo, não deve haver pares entre líder e liderado diretamente). Esse, com certeza, é um programa que traz muitos benefícios para a organização.

*Daniella Barcellos

Compartilhe
Deixe seu comentário