A pergunta mais frequente que um Headhunter escuta é: "E como está o mercado?" De fato, a natureza do nosso negócio nos coloca em uma posição de "termômetro", bastante fiel do comportamento do mercado.

Há algum tempo minha resposta a essa pergunta tem sido muito positiva. Sentimos, nos meses de 2019, um claro movimento de retomada nos negócios. Por quê? Sem entrar na seara política, repeti isso muito nos últimos anos: país pós-guerra volta a crescer rápido.

E para 2020, o que esperar?

Listamos cinco previsões, frutos de contatos diários dos Headhunters da Tailor com executivos e empresários dos mais diversos setores:

1) Aquecimento do mercado financeiro

O volume de IPOs e consolidações de empresas movimentará bastante o mercado financeiro como um todo, gerando demanda por profissionais de finanças, economia e contábeis.

2) Aumento da demanda em Segurança Digital

A Lei Geral de Proteção de dados entra em vigor a partir de agosto de 2020, e as empresas precisarão correr para se adequar a ela, recorrendo à contratação de profissionais internos na área e a fornecedores qualificados.

3) Crescimento do home office

A necessidade de aumento de equipes, aliada às melhores práticas atuais de espaço de trabalho, levará cada vez mais empresas a adotar essa prática para atrair e reter talentos.

4) Procura por especialistas

O mercado viveu um período de busca e valorização do profissional generalista, com foco nas soft skills. Certamente essa busca permanecerá, mas a necessidade de atrair profissionais especialistas em diferentes áreas, para mesclar as equipes e aumentar a capacidade técnica, será maior no próximo ano.

5) Ampliação de quadros

Nos últimos anos uma grande parcela das posições abertas nas empresas tinha caráter de substituição ou adequação de quadro. Para 2020, os principais setores da economia tendem a acelerar a abertura de vagas novas nas estruturas.

Bom, ainda há um longo caminho a percorrer até a plena recuperação do mercado, mas como já diria a frase atribuída a Napoleão:

"Vamos devagar, pois temos pressa".

Compartilhe
Deixe seu comentário