Os números foram positivos na virada de 2020 para 2021: as contratações no País aumentaram 30%; e há indícios de que continuemos a ter boas notícias! De acordo com pesquisa da consultoria PwC Brasil publicada pelo Valor Econômico, sessenta por cento das empresas pretendem contratar nos próximos meses. Esses números fazem parte do levantamento que ouviu 62 companhias de 16 setores entre outubro de 2020 e março de 2021. As entrevistadas contemplam desde organizações de até 500 funcionários (55% do total), até grupos com mais de cinco mil empregados (11%), de áreas como agronegócio, tecnologia e saúde, além de serviços financeiros e turismo.

O relatório traz muitos pontos relacionados às novas práticas advindas com a conjuntura da pandemia, além de ações para mitigar os efeitos da crise da covid-19:

• 59% das companhias ouvidas ofereceram ações para garantir a produtividade, mediante políticas que incluam o bem-estar das equipes, como meditação e exercícios por vídeo;
• 79% das empresas pretendem manter ou implementar o trabalho remoto e 68% adotarão o modelo híbrido, combinando expediente a distância e presencial;
• 28% encamparam o conceito de “trabalhar de qualquer lugar”, permitindo que os profissionais atuem fora da cidade ou do país de origem da admissão, ampliando as fronteiras do home office — Cenário no qual 25% recorreram a medidas específicas para empregados em mobilidade global, com 23% delas aderindo ao “virtual assignment”;
• 23% das empresas ofereceram infraestrutura de trabalho aos funcionários remotos, com reembolso de despesas de internet e de telefone, número que representa mais do que dobro em relação à pesquisa anterior (10%) — 30% das empresas estudam seguir com essa prática nos próximos meses;
• 16% das companhias recorreram à redução de jornada com corte de salários, proporção menor do que a do período anterior (27%), 11%, à suspensão temporária do contrato de trabalho (antes, 23%) e 56%, à concessão de férias individuais e coletivas (frente a 65%);
• 89% das empresas controlaram o ingresso dos funcionários no ambiente de trabalho;
• 82% montaram comitês internos para administrar casos de covid-19.

E se novas habilidades têm sido constantemente cobradas nos últimos anos, a previsão é de que essa cobrança sobre as lideranças deve se intensificar até o final deste ano. Os desafios têm sido grandes e esse relatório mostra que, com as estratégias e habilidades necessárias, é possível enfrentar o momento, adquirir experiência e aprendizado, e preparar o terreno para o crescimento e o desenvolvimento — pessoal, profissional e econômico!

Compartilhe
Deixe seu comentário